2047 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.0/5 (1 vote cast)

Leonel Mattos a 24 Quadros por Segundo

Um olhar documental sobre o artista afinado nos sete instrumentos das artes plásticas, Leonel Mattos, pintor, escultor, reconhecido pela crítica. Como uma espécie de muralista baiano, pratica, com brilho, democratizando o seu talento com as intervenções de arte no espaço público. O relato da passagem na estação do inferno, durante os agônicos quatro anos de cadeia, também mereceu uma sequência especial, quando incentivou os presos a se aproximarem da arte, e com ajuda de alguns, realizou um importante trabalho, de onde saiu a exposição: Caixa Preta. Premiada e exposta no MAM-BA.

Tema: ARTES

Tags: arte, bahia, espacio_público, grafito, intervención, leonel_mattos

Programa Relacionado: O Artista e a RuaEl artista y la calle

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 10'23"

Diretor: Tuna Espinheira

Produtor: Yara Maria

Ano: 2009

Formato: HD

Montagem: Tuna Espinheira/Claude Santos

Som Direto: Roque Araújo

Fotografia: Claude Santos

Trilha: Aderbal Duarte

Filmografia do Diretor:
- Leonel Mattos a 24 Quadros por Segundo. Doc. 10m. Cor. Documentário. Ano de
Produção 2009.
- Cascalho. Longa Metragem. Ficção. 104 minutos. Realizado em 2003/2004.
- Anos anteriores: Sobral Pinto. Doc. P&B. 35mm. 22 minutos- Grande Prêmio” do Júri do VI Festival Brasileiro de Curta Metragem, outorgado pelo Jornal do Brasil. 1976
- Cajaiba... O Fazendeiro do Ar. Doc. P&B. 12 minutos. Melhor Roteiro”, no IX Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, e de “Melhor Proposta de Criatividade”, na IV Jornada Brasileira de Curta Metragem.1979.
- A Mulher Marginalizada. Doc. 16mm. Cor. 30 minutos. Melhor Direção e Melhor
MelhorFilme, no VI Rio Cine Festival, e troféu de “Melhor Filme”, concedido pelo Ofício Católico Internacional de Cinema – OCIC. 1989.
- Comunidade do Maciel. Doc.P&B. 20 minutos. Convidado “hors concours” para o Festival Internacional de Nyon, na Suiça, e selecionado para o XX Festival Internacional de Oberhausen, na Alemanha. Prêmio de “Melhor Filme”, na I Mostra do Filme Documentário, em Curitiba. 1971
- Batatinha – Samba Não se Aprende no Colégio. Doc. 10 minutos. Cor. 1978
- Luis Gonzaga, o Rei do Baião. 20 minutos. Doc. P&B. (A primeira realização, ano 1968)


Comentário do Diretor: Um olhar documental sobre o artista afinado nos sete instrumentos das artes plásticas, Leonel Mattos, pintor, escultor, reconhecido pela crítica. Como uma espécie de Muralista baiano, pratica, com brilho, democratizando o seu talento com as intervenções de arte no espaço público. O relato da passagem na estação do inferno, durante os agônicos 4 anos de cadeia, também mereceu uma seqüência especial, quando incentivou os presos a se aproximarem da arte, e com ajuda de alguns, realizou um importante trabalho, de onde saiu a exposição: Caixa Preta. Premiada e exposta no MAM-BA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

    Este curta ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

CURTAS RELACIONADOS

Inabilismo

Em 1995, um grupo de estudantes de arte criou o inabilismo. Hoje, mesmo longe das galerias, o inventor...

Oscar 07/02

Documentário experimental sobre uma obra contemporânea de arquitetura (o Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba). Adaptando conceitos de Niemeyer, o curta...

Estado Crítico da Poesia

Reflexão sobre a posição da poesia no universo das artes e o modo de expressão como um caminho viável para...

Corações Ex-postos

Quatro estilistas brasileiros realizam performances inspiradas no trabalho do artista plástico Leonilson. Realização Projeto Rosângelo. Prêmio de Melhor Documentário no...

A Luta

A conquista do título mundial na categoria peso pena pelo boxeador Wilson Ferreira, residente em Betim, Minas...

Figueira do Inferno

Um Registro Etno-botânico da utilização de Daturas e Brugmânsias no nordeste...