1109 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 1.7/5 (3 votes cast)

Interiores ou 400 Anos de Solidão

Um ensaio sonoro-visual a partir de personagens reais em cidades distintas do Sertão de Alagoas. O critério de escolha dos personagens segue uma característica comum: vivem em situações extremas, marcadas por problemáticas seculares da região (água, trabalho, educação, infância). O filme mergulha sob uma perspectiva estético/existencial, no cotidiano do sertanejo, elaborando uma narrativa a partir de um acompanhamento de suas ações, juntamente com um plano sonoro crescente, produzido a partir de entrevistas com outros viventes da região; capturando suas falas, sentimentos, pensamentos, sonhos, silêncios, ruídos, lendas, músicas e orações.

Tema: CULTURA POPULAR

Tags: especial_religiosidade, interior Brasil, pobreza, religião, sertanejos

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 30'08"

Diretor: Werner Salles Bagetti

Produtor: Rafhael Barbosa

Ano: 2012

Formato: HD

Montagem: Werner Salles Bagetti

Som Direto: Tato Sales

Fotografia: Michel Rios

Trilha: Egildo Vieira e Shooney

Prêmios:
Melhor documentário e melhor montagem na III Mostra Sururu de Cinema Alagoano

Festivais:
III Mostra Sururu de Cinema Alagoano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

    Este curta ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

CURTAS RELACIONADOS

Dia Tradição

Desculpe-nos, mas este texto esta apenas disponível em

Volta da Jiboia

A Volta da Jiboia é uma tradição oral passada de mãe para filha, realizada na cidade de Itacaré/Bahia, onde encontramos...

Orquestra do Som Cego

Dois sanfoneiros cegos, um filme mudo e um de-compositor...

O Boi do Mamulengo

Numa Feira de artesanato, um fantoche de teatro mambembe conta a história do Bumba-Meu-Boi do estado do Maranhão.

O Evangelista

Chico Xavier, Mahatma Gandhi, Martin Luther King Jr., Papa João Paulo II e Albert Einstein pregaram suas doutrinas. O Sr....

Todas as Horas

No ano em que nasci, um relógio também chegou à casa de meus pais. Antes de falecer, minha avó escreveu...