4172 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 3.0/5 (2 votes cast)

Morre Congo, Fica Congo

Até os anos 1970 o Jongo Rural de Angra dos Reis mantinha a comunhão dos seus praticantes nos encontros de terreiro. Esses encontros foram desfeitos a partir de 1973, durante o governo do General Emílio Garrastazu Médici, com as obras da rodovia Rio-Santos; a construção das usinas nucleares e a especulação imobiliária, que desfizeram laços sociais, trouxeram violência e obrigaram famílias inteiras a migrar de bairros como Mambucaba, Itaorna, Frade e Grataú para o Morro do Carmo, no centro de Angra. Memória da terra, saudades do local de origem, recuperação da autoestima, magia. “Morre congo, fica congo” é o registro raro e impressionante do Jongo Rural (manifestação oral-rítmica dos remanescentes de quilombos, com pontos falados, cantados e acompanhados de palmas e tambor), que é revelado, no filme, pelos depoimentos dos seus cinco últimos mestres praticantes: Carmo Moraes, na época, com 82 anos de idade; Dona Luisa, 67; Zady Rita, 62; Rosalvo Bernardo, 57 e Zé Adriano, 78.

Tema: ESPIRITUALIDADE

Tags: candomblé, cultura_tradicional, delcioteobaldo, dgtfilmes, especulación_inmobiliaria, espiritualidade, ficacongo, jongo, morre_congo, terrero, toninogueira

Programa Relacionado: Rastros do Quilombo

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 15'00"

Diretor: Délcio Teobaldo

Produtor: Toni Nogueira

Ano: 2001

Formato: HD

Fotografia: Toni Nogueira

Festivais:
; encerrou a mostra “Da chanchada à feijoada – O cinema negro no Brasil” (Museu da Imagem e do Som, São Paulo),O documentário já foi exibido em Rede Nacional (TV Cultura, São Paulo), programa Zoom,Morre Congo, fica Congo foi exibido em salas especiais (Museu da Imagem e do Som; Centro Cultural e Artístico Botafogo e Universidade Federal do Rio de Janeiro, durante a “I Semana de Artecultura”,encerrou o “II Festival de Arte Negra – FAN” (Belo Horizonte – MG),); convidado para exibição no Encontro Latino Americano de Culturas, México,no “III Discovering Latin America Film Festival ,Festival de Cinema e Video de Udine (Itália) e no “16º The International Documentary Film Festival of Marseilles” (França, 2005);VI Festival Latino de Londres (Itália, Havana, 2005).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

    Este curta ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

CURTAS RELACIONADOS

Um passeio pela Praça do Rosário

Promenade. Rosario, Mococa, Sp. Um documentário visual no formato de passeio no em torno da praça da Rosario, como 'promenade', o...

Uma Escola Hunikui

Nos tempos dos patrões os Hunikui não podiam falar a sua língua nem praticar as suas danças. Hoje, os professores...

A Festa dos Reis

A Folia de Reis é uma tradição folclórica secular na região nordeste do estado de São Paulo/sudoeste de Minas Gerais,...

Está em seus olhos

Algumas mudanças nos fazem duvidar. Momentos na vida que nos assustam. Momentos que nos fazem recorrer aos nossos familiares mais...

Entre Vãos

Entre Vãos é um documentário etnolírico que se passa no Vão de Almas, habitado pela comunidade remanescente quilombola Kalunga, em...

Três Etnias, Um Sonho

O documentário "Três Etnias, Um Sonho", mostra como o município de Vila Pavão, na região noroeste do Espirito Santo, através...