4095 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 3.5/5 (2 votes cast)

Nascidos no Cárcere

Mariana é mãe de primeira viagem. Queli escreve poemas para declarar a saudade das filhas. A maior preocupação de Mari Ana é com a alimentação de Emanuele, que ainda não largou o peito. Para Liane a felicidade veio em dose dupla: ela é mãe de gêmeos. Tristes mas corajosas. Mariana, Queli, Mari Ana e Liane temem o mesmo momento: a separação. Na Unidade Materno da Penitenciária Madre Pelletier, em Porto Alegre, as detentas podem permanecer com os bebês até que eles completem um ano de idade. Essas quatro mulheres, à espera da partida, dividem experiências, contam como é ser mãe no cárcere, falam das saudades dos que estão na rua e fazem planos de um futuro junto aos filhos quando conquistarem a liberdade.

Tema: INFÂNCIA

Tags: cárcere, maternidad, maternidade, penitenciária

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 24'

Diretor: Luiz Fernando Greiner Barp

Produtor: Chayenne Cardoso

Ano: 2011

Montagem: Fábio Pelinson, Luiz Fernando Barp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

    Este curta ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

CURTAS RELACIONADOS

Canção Amiga

Resulta da oficina Tecendo Vídeos, com crianças e jovens, em 2011. Aborda as ações socioculturais que beneficiam a infância contra...

Puta Luta

Sinopse - Artistas, intelectuais, políticos, atletas e cidadãos comuns, no dia 02 de junho, reúnem-se na Rua da Areia, Centro...

O encontro

Heba Viera Smith é um ativista mulher uruguaia para a causa palestina. Seu status como contrastes muçulmanos com a cidade...

Os Caminhos Desconhecidos do Mundo Luz

O documentário acompanha o processo de cinco crianças de comunidades próximas à Universidade durante uma oficina de fotografia e aborda...

Phantasma do Paquetá

Não existe lugar no mundo, por mais culta que seja sua população, que não tenha uma história sobrenatural para contar....

No meu palanque

Nós os vemos e não os vemos (ou decidimos não vê-los?), acreditamos e não acreditamos no que nos recomandam para...