3464 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.0/5 (1 vote cast)

Leonel Mattos a 24 Quadros por Segundo

Um olhar documental sobre o artista afinado nos sete instrumentos das artes plásticas, Leonel Mattos, pintor, escultor, reconhecido pela crítica. Como uma espécie de muralista baiano, pratica, com brilho, democratizando o seu talento com as intervenções de arte no espaço público. O relato da passagem na estação do inferno, durante os agônicos quatro anos de cadeia, também mereceu uma sequência especial, quando incentivou os presos a se aproximarem da arte, e com ajuda de alguns, realizou um importante trabalho, de onde saiu a exposição: Caixa Preta. Premiada e exposta no MAM-BA.

Tema: ARTES

Tags: arte, bahia, espacio_público, grafito, intervención, leonel_mattos

Programa Relacionado: O Artista e a RuaEl artista y la calle

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 10'23"

Diretor: Tuna Espinheira

Produtor: Yara Maria

Ano: 2009

Formato: HD

Montagem: Tuna Espinheira/Claude Santos

Som Direto: Roque Araújo

Fotografia: Claude Santos

Trilha: Aderbal Duarte

Filmografia do Diretor:
- Leonel Mattos a 24 Quadros por Segundo. Doc. 10m. Cor. Documentário. Ano de
Produção 2009.
- Cascalho. Longa Metragem. Ficção. 104 minutos. Realizado em 2003/2004.
- Anos anteriores: Sobral Pinto. Doc. P&B. 35mm. 22 minutos- Grande Prêmio” do Júri do VI Festival Brasileiro de Curta Metragem, outorgado pelo Jornal do Brasil. 1976
- Cajaiba... O Fazendeiro do Ar. Doc. P&B. 12 minutos. Melhor Roteiro”, no IX Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, e de “Melhor Proposta de Criatividade”, na IV Jornada Brasileira de Curta Metragem.1979.
- A Mulher Marginalizada. Doc. 16mm. Cor. 30 minutos. Melhor Direção e Melhor
MelhorFilme, no VI Rio Cine Festival, e troféu de “Melhor Filme”, concedido pelo Ofício Católico Internacional de Cinema – OCIC. 1989.
- Comunidade do Maciel. Doc.P&B. 20 minutos. Convidado “hors concours” para o Festival Internacional de Nyon, na Suiça, e selecionado para o XX Festival Internacional de Oberhausen, na Alemanha. Prêmio de “Melhor Filme”, na I Mostra do Filme Documentário, em Curitiba. 1971
- Batatinha – Samba Não se Aprende no Colégio. Doc. 10 minutos. Cor. 1978
- Luis Gonzaga, o Rei do Baião. 20 minutos. Doc. P&B. (A primeira realização, ano 1968)


Comentário do Diretor: Um olhar documental sobre o artista afinado nos sete instrumentos das artes plásticas, Leonel Mattos, pintor, escultor, reconhecido pela crítica. Como uma espécie de Muralista baiano, pratica, com brilho, democratizando o seu talento com as intervenções de arte no espaço público. O relato da passagem na estação do inferno, durante os agônicos 4 anos de cadeia, também mereceu uma seqüência especial, quando incentivou os presos a se aproximarem da arte, e com ajuda de alguns, realizou um importante trabalho, de onde saiu a exposição: Caixa Preta. Premiada e exposta no MAM-BA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Lozemar Ferreira disse:

    Parabéns Leonel trabalho fantástico com dedicação e estilo!

CURTAS RELACIONADOS

Olho da Rua

Grafiteiros mostram sua arte nas ruas do Rio de...

Vintena Brasileira – Concertos Didáticos

Vintena Brasileira é uma orquestra de música instrumental composta por músicos de distintas cidades do interior do estado de São...

A rota do tecido

A vila turística de Tafí del Valle é conhecida pela beleza deslumbrante de suas paisagens. Os artesãos associados à rota...

Music Box

Você tem que esperar. Você tem que esperar pela garota. Você tem que esperar pelo carro. Você tem que esperar...

Inventário das Sombras

Um registro documental e artístico do projeto de intervenção urbana que nasceu na periferia da Amazonia e ganhou o UNESCO...

Bloco do Cordão Boitatá

Uma visão de dentro do Cordão do Boitatá, um dos blocos mais tradicionais e concorridos do novo carnaval de rua...