4451 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.0/5 (1 vote cast)

Leonel Mattos a 24 Quadros por Segundo

Um olhar documental sobre o artista afinado nos sete instrumentos das artes plásticas, Leonel Mattos, pintor, escultor, reconhecido pela crítica. Como uma espécie de muralista baiano, pratica, com brilho, democratizando o seu talento com as intervenções de arte no espaço público. O relato da passagem na estação do inferno, durante os agônicos quatro anos de cadeia, também mereceu uma sequência especial, quando incentivou os presos a se aproximarem da arte, e com ajuda de alguns, realizou um importante trabalho, de onde saiu a exposição: Caixa Preta. Premiada e exposta no MAM-BA.

Tema: ARTES

Tags: arte, bahia, espacio_público, grafito, intervención, leonel_mattos

Programa Relacionado: O Artista e a RuaEl artista y la calle

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 10'23"

Diretor: Tuna Espinheira

Produtor: Yara Maria

Ano: 2009

Formato: HD

Montagem: Tuna Espinheira/Claude Santos

Som Direto: Roque Araújo

Fotografia: Claude Santos

Trilha: Aderbal Duarte

Filmografia do Diretor:
- Leonel Mattos a 24 Quadros por Segundo. Doc. 10m. Cor. Documentário. Ano de
Produção 2009.
- Cascalho. Longa Metragem. Ficção. 104 minutos. Realizado em 2003/2004.
- Anos anteriores: Sobral Pinto. Doc. P&B. 35mm. 22 minutos- Grande Prêmio” do Júri do VI Festival Brasileiro de Curta Metragem, outorgado pelo Jornal do Brasil. 1976
- Cajaiba... O Fazendeiro do Ar. Doc. P&B. 12 minutos. Melhor Roteiro”, no IX Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, e de “Melhor Proposta de Criatividade”, na IV Jornada Brasileira de Curta Metragem.1979.
- A Mulher Marginalizada. Doc. 16mm. Cor. 30 minutos. Melhor Direção e Melhor
MelhorFilme, no VI Rio Cine Festival, e troféu de “Melhor Filme”, concedido pelo Ofício Católico Internacional de Cinema – OCIC. 1989.
- Comunidade do Maciel. Doc.P&B. 20 minutos. Convidado “hors concours” para o Festival Internacional de Nyon, na Suiça, e selecionado para o XX Festival Internacional de Oberhausen, na Alemanha. Prêmio de “Melhor Filme”, na I Mostra do Filme Documentário, em Curitiba. 1971
- Batatinha – Samba Não se Aprende no Colégio. Doc. 10 minutos. Cor. 1978
- Luis Gonzaga, o Rei do Baião. 20 minutos. Doc. P&B. (A primeira realização, ano 1968)


Comentário do Diretor: Um olhar documental sobre o artista afinado nos sete instrumentos das artes plásticas, Leonel Mattos, pintor, escultor, reconhecido pela crítica. Como uma espécie de Muralista baiano, pratica, com brilho, democratizando o seu talento com as intervenções de arte no espaço público. O relato da passagem na estação do inferno, durante os agônicos 4 anos de cadeia, também mereceu uma seqüência especial, quando incentivou os presos a se aproximarem da arte, e com ajuda de alguns, realizou um importante trabalho, de onde saiu a exposição: Caixa Preta. Premiada e exposta no MAM-BA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Lozemar Ferreira disse:

    Parabéns Leonel trabalho fantástico com dedicação e estilo!

    No votes yet.
    Please wait...

CURTAS RELACIONADOS

Cidade Subjetiva

Documentário sobre o evento dos 160 psicodramas públicos que aconteceram em São Paulo sobre o tema "Ética é Cidadania".

A Dream of Samba

Na ilha de Taiwan, um homem vê no carnaval uma forma de mudar a mentalidade de seu país. Quando o...

Entre Diabos

A dança dos diabos - Herrera, com sua dança dos "Diablicos Limpios"; Los Santos, com a dança do "Gran Diablo"....

Zé Barriga

Artista autodidata, Zé Barriga mora em uma favela de Belo Horizonte há 30 anos. Patrícia, nascida no local, sempre admirou...

Coletivo

Movimento cultural de Niterói discute arte, atualidade, coletividade e outras coisas nas ruas da cidade, durante uma grande ação de...

Abril pro Rock – Fora do Eixo

Faz um balanço sobre os 16 anos de história do Abril Pro Rock, um dos maiores festivais da música independente...