4189 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.9/5 (7 votes cast)

Beijo na Boca Maldita

Muito popular em Curitiba dos anos 1970, GILDA marcou época. Tipo folclórico de rua, dizia-se travesti. Quem não quisesse levar um beijo seu apressava-se em lhe dar um trocado. Todos fugiam dos seus gracejos na Boca Maldita.

Tema: COMPORTAMENTO

Tags: cidade, comportamento, inclusão, inclusión

Programa Relacionado: Atitudes

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 16'

Diretor: Yanko Del Pino

Produtor: Geni Cruz

Ano: 2008

Formato: HD

Montagem: Piu Gomes

Som Direto: Roberto Carlos de Oliveira

Trilha: Celso Piratta

Festivais:
RECINE 2008 (melhor curta-metragem)
É Tudo Verdade 2008
ATLANTIDOC 2008 Festival Internacional de Cine Documental de Uruguay
Festival MixBrasil 2008
CINEMAISSÍ 2008 Finlandia
Miradas-Doc Espanha 2008

Filmografia do Diretor:
Deu no Jornal, curta animação 35mm (3 minutos)
Retratos e Borboleta, curta animação 35mm (10 minutos)
A TV que Virou Estrela, longa ficção 35mm (70 minutos)

Deixe uma resposta para Ana Garcia Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Ana Garcia disse:

    Adore este cortometraje, lo vi en Atlantida y no he dejado de verlo de tiempo en tiempo, cada vez descubro algo nuevo. Me conmovio Gilda.

CURTAS RELACIONADOS

Contramão

Todos os dias ao menos um motoboy se arrebenta nas ruas deixando sob o asfalto cinza o sonho de um...

Linhas de Encontro

Uma linha telefônica de encontros gays. Dezenas de homens saem em busca de companhia na cidade. Busca solitária e desesperada...

KinOpoÉTicaS – Torpellino

Neste curta de KinOpoÉTicaS o documentarista colombiano Luis Ospina reflete sobre as mudanças estéticas vividas em seu país nos últimos...

TransVerso

Cortometraje documental sobre el cotidiano y la vida de mujeres transgênero en la región de Maringá, Brasil. Religión, prejuicio, amor...

S3TART – CASSICOBRA 3 |∞

Transferir do muro pra tela a verdade e força que o artista urbano brasileiro tem, com um olhar humano contado...

MULHERES DE 50

“Benditas coisas que não sei. Os gostos que não provei. O tempo escorre num piscar de olhos. Posso brincar...