2993 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 3.0/5 (1 vote cast)

Em uma tarde de abril em Cambuquira

Se todos se calam, qual é a voz da cidade? Quando a maioria se senta enquanto assiste a nada, Cambuquira sucumbe.

Tema: COMPORTAMENTO

Tags: cambuquira

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 5'

Diretor: Alexandre Felix

Produtor: Alexandre Felix

Ano: 2009

Montagem: Alexandre Felix

Fotografia: Alexandre Felix

Prêmios:
Melhor Curta Experimental MOSCA - 2006,Melhor Curta Experimental MOSCA - 2009,Melhor Curta do Festival MOSCA - 2010

Festivais:
Mostra audiovisual de Cambuquira (MOSCA) 2,3,4,5 e 6,Primeiro Plano Juiz de Fora e Mercocidades - 2007,Primeiro Plano Juiz de Fora e Mercocidades - 2010

Filmografia do Diretor:
Na companhia de caronte - 2006
Cris, minha Cruz - 2007
Em uma tarde de abril em Cambuquira - 2009
Chão e Fé - 2010


Comentário do Diretor: A idéia desse curta é usar os recursos audiovisuais como ferramenta de manifestações políticas e ideológicas.

Deixe uma resposta para Simone menegussi Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Simone menegussi disse:

    Parabéns Alexandre! Você conseguiu mostrar como está Cambuquira. Parada no tempo! Perfeito.

CURTAS RELACIONADOS

Mãos de Outubro

Outubro de festa. Romeiros, operários, escultores, estilistas, decoradores, guardas da Santa, fogueteiros, promesseiros, tocadores de sinos. Todas as classes, todas...

Manjoada

O cotidiano dos pescadores da Colônia Z3, às margens da Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, é afetado...

Linha de Fogo

O maior incêndio já registrado no Parque Nacional da Chapada...

O Patrulheiro Gugu – Gugu das Placas

Um personagem que não passa despercebido na cidade de Franca interior de São Paulo com sua farda, caneta e caderno...

Tem Que Ter Swing – 5 Anos da Batalha do Santa Cruz

A tradicional batalha de rimas de improviso que acontece há seis anos na saída da estação Santa Cruz do metrô...

MULHERES DE 50

“Benditas coisas que não sei. Os gostos que não provei. O tempo escorre num piscar de olhos. Posso brincar...