3363 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 1.7/5 (3 votes cast)

Trago doce, trago amargo

Em uma pequena cidade no porto deserto de Atacama, um ex-boxeador alcoólatra dá sua última luta, desta vez contra si mesmo. Seu comportamento na zona portuária e os colegas ao redor não deixam dúvidas sobre a tremenda luta que trava consigo, entre a falta de sentido da vida presente e a extraordinária força vital que o impede de abandonar-se por completo.

Tema: COMPORTAMENTO

Tags: alcoolismo

FICHA TÉCNICA

País: Chile

Duração: 56'28"

Diretor: Daniel Evans

Produtor: Soledad Naranjo Melo

Ano: 2003

Formato: MINIDV

Montagem: Daniel Evans

Som Direto: Raquel Painean

Fotografia: Daniel Evans

Prêmios:
Mejor Documental Festival Nacional de Cine de CALDERA 2004 CHILE Mención Especial del Jurado XII Festival Latinoamericano de Rosario ARGENTINA Selección chilena para INPUT INTERNACIONAL 2003 Selección UNESCO en el OPEN FRAME FORUM 2004 (INDIA)

Festivais:
Muestra Itinerante ADOC (Brasil, Portugal, Francia, España) Festivales Nacionales (Valparaíso, Valdivia, Santiago, Caldera) e Internacionales (África do Sul, Portugal, Brasil, Argentina) Participación permanente en la Plataforma Audiovisual UNESCO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Este curta ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

CURTAS RELACIONADOS

Litania da Velha

Último passeio de uma senhora mendiga mostra também o abandona da...

Tapete vermelho

Uma instalação leva um gigantesco tapete vermelho para as areias da Praia de Ipanema, Rio de Janeiro. O curta acompanha...

Vitamina D, por uma outra terapia

Seis portadores de doenças autoimunitárias, a maioria com esclerose múltipla, tiveram suas vidas transformadas por um tratamento à base de...

…vida de…lixo de…

Mulher cata a sobrevivência da família pelas ruas, recicla as esperanças e troca pelos...

Beijo na Boca Maldita

Muito popular em Curitiba dos anos 1970, GILDA marcou época. Tipo folclórico de rua, dizia-se travesti. Quem não quisesse levar...

Barbosa

Rapaz volta a 16 de julho de 1950 para tentar evitar a falha do goleiro Barbosa, que tirou a Copa...