3701 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.7/5 (3 votes cast)

Adeus a Cuba

Um retrato íntimo e familiar de Cuba, contado através das cartas de quatro cubanos que deixaram o país, em épocas e por razões distintas.

Tema: COTIDIANO

Tags: américa_latina, cartas, cuba, drama_familiar, emigração_cubana, emigración_cubana, especial_Cuba

Programa Relacionado: Cartas no PapelCartas en Papel

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 14'39"

Diretor: Fabio Meira

Produtor: Angela Rubiano

Ano: 2006

Formato: HD

Montagem: Aldo Alvarez

Som Direto: Ruben Valdés

Fotografia: Daniela Cajías

Prêmios:
Prêmio Caracol de Melhor documentário de 2007 pela UNEAC (União dos Escritores e Artistas de Cuba),Melhor Documentário, Melhor Roteiro, Melhor Primeiro Filme e Melhor Fotografia no Festival Vale del Yumuri, Matanzas

Festivais:
Caracol - UNEAC 2007,Festival Vale del Yumuri de Matanzas, Cuba, 2007

Filmografia do Diretor:
Fabio Meira nasceu em Goiânia em 1979. Em 2004 Fabio Meira dirigiu seu primeiro curta, “Dolores”. Em 2005 se mudou a Cuba para integrar a Escola Internacional de Cinema e Televisão de San Antonio de Los Baños. Na Escola dirigiu o documentário “Adios a Cuba”, ganhador do prêmio Caracol de melhor documentário de 2007, pela UNEAC (Unión de los Escritores y Artistas Cubanos). Trabalhou como assistente de Ruy Guerra em “O veneno da madrugada” e Fernando Trueba em “Chico y Rita”. Foi aluno de Gabriel Garcia Marquez na oficina “Como contar un cuento”. Seu curta “Atlântico” participou de diversos festivais internacionais, tendo recebido, em 2009, o prêmio de melhor curta-metragem no Festival de Toulouse, na França. Mesmo ano em que se pós-graduou em roteiro de cinema pela Escola Superior de Cinema da Catalunha, em Barcelona. Fabio dirigiu e escreveu sete curtas-metragens. Seu trabalho mais recente, o documentário “Hoje tem alegria” foi eleito o melhor curta-metragem pelo júri da ABD-SP na edição de 2011 do festival “É tudo verdade”.


Comentário do Diretor: "Adios a Cuba" é um trabalho que marcou muito a equipe que o realizou. Ali começou uma série de experimentações de caminhos que seguem até hoje para o diretor, para o técnico de som e para a fotógrafa. Além disso, a pesquisa foi de uma riqueza indescritível, mais de 100 cartas foram lidas. Talvez a maior emoção seja a da confiança desses cubanos que emprestaram suas cartas para que servissem de matéria prima ao documentário, cedendo assim uma parte de suas vidas e de suas histórias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Este curta ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

CURTAS RELACIONADOS

Lendo no escuro

Esta é a última noite de trabalho de um velho distribuidor de jornais e revistas. Ele conta como foi sua...

Canais de Santos

O Curta celebra o centenário dos canais e mostra, com fotos e vídeos históricos, toda a importância das obras que...

O minuto é um milagre que não se repete

A Rádio Relógio Federal foi um sucesso nos anos 1960, 1970 e 1980. Mas sua transmissão característica que informava a...

Sucre: memorias y creencias

La historia de una localidad través de voces del pueblo. En la Península de Paria, en Venezuela, donde la tradición...

Pedra Polida

Video feito a partir do registro de Bernardo Bidlowsky, imigrante polonês, que no alto de seus noventa e cinco anos...

Camará Blues

Um filósofo escritor. Um músico tocador de banjo. Um fitoterapeuta. Em comum, somente a barba. E muita experiência sobre as artes...