5319 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.8/5 (4 votes cast)

Adeus a Cuba

Um retrato íntimo e familiar de Cuba, contado através das cartas de quatro cubanos que deixaram o país, em épocas e por razões distintas.

Tema: COTIDIANO

Tags: américa_latina, cartas, cuba, drama_familiar, emigração_cubana, emigración_cubana, especial_Cuba

Programa Relacionado: Cartas no PapelCartas en Papel

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 14'39"

Diretor: Fabio Meira

Produtor: Angela Rubiano

Ano: 2006

Formato: HD

Montagem: Aldo Alvarez

Som Direto: Ruben Valdés

Fotografia: Daniela Cajías

Prêmios:
Prêmio Caracol de Melhor documentário de 2007 pela UNEAC (União dos Escritores e Artistas de Cuba),Melhor Documentário, Melhor Roteiro, Melhor Primeiro Filme e Melhor Fotografia no Festival Vale del Yumuri, Matanzas

Festivais:
Caracol - UNEAC 2007,Festival Vale del Yumuri de Matanzas, Cuba, 2007

Filmografia do Diretor:
Fabio Meira nasceu em Goiânia em 1979. Em 2004 Fabio Meira dirigiu seu primeiro curta, “Dolores”. Em 2005 se mudou a Cuba para integrar a Escola Internacional de Cinema e Televisão de San Antonio de Los Baños. Na Escola dirigiu o documentário “Adios a Cuba”, ganhador do prêmio Caracol de melhor documentário de 2007, pela UNEAC (Unión de los Escritores y Artistas Cubanos). Trabalhou como assistente de Ruy Guerra em “O veneno da madrugada” e Fernando Trueba em “Chico y Rita”. Foi aluno de Gabriel Garcia Marquez na oficina “Como contar un cuento”. Seu curta “Atlântico” participou de diversos festivais internacionais, tendo recebido, em 2009, o prêmio de melhor curta-metragem no Festival de Toulouse, na França. Mesmo ano em que se pós-graduou em roteiro de cinema pela Escola Superior de Cinema da Catalunha, em Barcelona. Fabio dirigiu e escreveu sete curtas-metragens. Seu trabalho mais recente, o documentário “Hoje tem alegria” foi eleito o melhor curta-metragem pelo júri da ABD-SP na edição de 2011 do festival “É tudo verdade”.


Comentário do Diretor: "Adios a Cuba" é um trabalho que marcou muito a equipe que o realizou. Ali começou uma série de experimentações de caminhos que seguem até hoje para o diretor, para o técnico de som e para a fotógrafa. Além disso, a pesquisa foi de uma riqueza indescritível, mais de 100 cartas foram lidas. Talvez a maior emoção seja a da confiança desses cubanos que emprestaram suas cartas para que servissem de matéria prima ao documentário, cedendo assim uma parte de suas vidas e de suas histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Este curta ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

CURTAS RELACIONADOS

Janela Molhada

A trajetória dos imigrantes europeus, pioneiros do cinema no Brasil e os Ciclos Regionais de Cinema. Em Pernambuco, dois italianos...

A Infância de Anastácia

Memórias de dona Anastácia e da cidade do...

Brincadeiras dos nossos avós

Através de uma pesquisa com pessoas mais idosas, educadores e alunos, conjuntamente com parcerias das escolas da cidade de Boa...

A onça de Arapeí – Projeto lendas do Vale

Primeiro episódio de uma série em desenvolvimento sobre as lendas urbanas do Vale do Paraíba, interior do Estado de São...

Ignotos

Existem aqueles que exercem atividades muito importantes para o cotidiano de inúmeras pessoas, e que, de uma forma direta ou...

Um Risco no Céu

A morte misteriosa de um músico interrompeu uma importante carreira de um grande artista gaúcho. Carlinhos Hartlieb foi um importante...