4375 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.0/5 (3 votes cast)

Uma Ciência Encantada

Um documentário sobre as percepções e impressões acerca dos mistérios e encantos de uma praia do litoral paraibano, inserida na cosmologia da Jurema Sagrado.

Tema: CULTURA POPULAR

Tags: imaginário_popular, Jurema, paraíba, Tambaba

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 20'

Diretor: Chico Sales

Produtor: Vivian Maitê Castro

Ano: 2010

Formato: HDV

Montagem: Ely Marques

Som Direto: Caio Gomes

Fotografia: Leandro Cunha

Trilha: -----------------

Prêmios:
----------

Festivais:
2011 - 6ª Mostra de Cinema de Ouro Preto - Ouro Preto [MG] 2011 - 5º Festival de Cinema dos Países de Língua Portuguesa [CINEPORT] - João Pessoa [PB] 2011 - III Festival do Filme etnográfico do Recife - Recife [PE] 2011 - VI Festival Audiovisual de Campina Grande [Comunicurtas] - Campina Grande [PB] 2011 - VII Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro - João Pessoa [PB]


Comentário do Diretor: O documentário “Uma Ciência Encantada” tem o intuito de explorar um dos diversos espaços cosmogônicos do culto da Jurema Sagrada, no município de Alhandra, situada na zona da mata paraibana: a Cidade Encantada de Tambaba. A praia de Tambaba, famosa por ser a primeira praia naturista do Nordeste, é descrita, por inúmeras narrativas orais, como um portal de acesso para variados planos astrais relacionados a este culto, onde habitam inúmeros espíritos relacionados à Jurema, e que nela são ofertados trabalhos espirituais aos antigos mestres juremeiros, e às divindades do mar. O tratamento estético-narrativo do documentário “Uma Ciência Encantada”, vem, portanto, no sentido de explorar a riqueza destas narrativas orais, e dos mais diversos significados acerca do plano simbólico da Cidade Encantada de Tambaba. Desta forma, busquei trazer à compreensão do espectador, a diversidade e a complexidade da representação de um campo que possui uma incrível veracidade e vitalidade no imaginário dos adeptos da Jurema Sagrada. Utilizando-se, em grande parte, de elementos emprestados do cinema experimental, a idéia foi de buscar compreender este pensar mítico, por meio de um repertório heterogêneo de símbolos do culto a este espaço encantado, em que todos os elementos deste pensamento estão no meio caminho entre percepções-imagens e conceitos difusos sobre este campo cosmológico. Por fim, a proposta deste filme é, através da sabedoria popular e da tradição oral, buscar compreender a riqueza de expressões deste espaço mítico, num exercício de experimentação sobre o seu campo imaginário-simbólico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Este curta ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

CURTAS RELACIONADOS

O homem sem nome

Um peregrino chega à comunidade de Boa Vista, na Paraíba, Brasil, em 1947, sem mala e sem destino, fixa-se no...

Ri loq’oläj maya’ q’aq’ – O fogo sagrado maia

Um grupo de guias espirituais mayas kaqchiqueles realiza quatro cerimônias em diversas montanhas sagradas nos arredores de Iximché, na Guatemala....

Caixa Mágica

Caixa Mágica conta a história do quilombo Barra de Aroeira, localizada no interior do Tocantins, na perspectiva da relação dos...

Os Japoneses do Vale do Ribeira

O documentário conta a história da colonização japonesa na região do Vale do Ribeira e Sudoeste Paulista, através de depoimentos...

Pedro – Ofício Tipógrafo

Pedro é um dos poucos tipógrafos que resistiram na cidade de Jacareí, interior de São Paulo, ele conta um pouco...

Alma Sonora

"A construção do instrumento é matemática. Um milímetro que você desvie o trasto na colocação da escala no...