4964 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.9/5 (14 votes cast)

No meu palanque

Nós os vemos e não os vemos (ou decidimos não vê-los?), acreditamos e não acreditamos no que nos recomandam para promover mudanças em suas vidas. Sobre o palanque da avenida dos Shyris, em Quito, exatamente na metade do parque mais visitado da cidade, o Parque Carolina, dormem garotos que vivem nas ruas. Sem lar, eles fogem e praticamente se fazem invisíveis. Este é um retrato direto e divertido, sem questionamentos e falsas simpatias sobre esses garotos que vivem entre nós.

Tema: DIREITOS HUMANOS

Tags: derechos_humanos, direitos_humanos, ecuador, equador, especial_inclusao, infancia_ruas, niñez_calle, política, quito, ruas

Programa Relacionado: Na RuaEn la calle

FICHA TÉCNICA

País: Equador

Duração: 12'

Diretor: Victor Carrera

Produtor: Victor Carrera

Ano: 2009

Formato: HD

Montagem: Victor Carrera

Som Direto: Diego Albuja

Fotografia: Victor Carrera

Trilha: Fausto Muñoz

Prêmios:
Mejor cortometraje Ecuatoriano, voto del público. EDOC 9. Quito, Ecuador.

Festivais:
Premier Internacional IDFA 2010 y distribuido en IDFA TV, Ámsterdam. Distribuido en “FREE ZONE JUNIOR” Project, Belgrado, Serbia. Selección Oficial. MAKEDOX, Macedonia.


Comentário do Diretor: Un día conocí a los niños al compartir un helado junto a ellos. El escuchar a Marcelo y Elvis interactuar, me llamó la atención su inocente-crudeza, reconocí en ellos rasgos de los personajes de una de mis películas favoritas, “Ciudad de Dios” y así empezó una aventura que tomó más de un año y medio en ser producida, experiencia que hasta hoy sigue influenciado mi vida. En Mi Tribuna tuvo su premiere internacional en IDFA. - Victor Carrera

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Marie Naudascher disse:

    Dear Victor, I have just seen your documentary, and I have found it really sensitive, moving and heart-breaking. It is really intereseting to see what your children have left which is still from childhood, and what is already in the violent adult world. Congratulation for this precisou and sensitive outlook on our wolrd. Happens in Quito, but in Paris, where I come from, I guess the stories are alike, and in Brazil where I live, even worse.

    I have just edited my first documentary, with French cameraman Patrick Vanier, about the children from favela da Maré, in rio de Janeiro, and how they see the urban, domestic and social violence.
    Here is the English version: https://vimeo.com/89077880
    Best,
    Marie

  2. Marie Naudascher disse:

    Dear Victor, I have just seen your documentary, and I have found it really sensitive, moving and heart-breaking. It is really intereseting to see what your children have left which is still from childhood, and what is already in the violent adult world. Congratulation for this precisou and sensitive outlook on our wolrd. Happens in Quito, but in Paris, where I come from, I guess the stories are alike, and in Brazil where I live, even worse.

    I have just edited my first documentary, with French cameraman Patrick Vanier, about the children from favela da Maré, in rio de Janeiro, and how they see the urban, domestic and social violence.
    Here is the English version: https://vimeo.com/89077880
    Best,
    Marie

CURTAS RELACIONADOS

Moda em Pedaços

O documentário mostra algumas facetas presentes no mundo da moda no Bairro do Bom Retiro em São Paulo. Os depoimentos...

Desde o extremo sul

Como explica um antigo refrão do sul da China, "ali onde chegam as ondas, ali chegam os chineses". Com milhões...

Seis dias depois…

A cidade de São Lourenço do Sul vivenciou, no dia 10 de março de 2011, uma de suas maiores catástrofes....

Lei da Mulher

Mulheres tão diferentes com uma história em comum: todas são vítimas de violência, seja sexual, moral ou psicológica. Elas compartilham...

Existem

É a Havana de agora, e a loucura parece transitá-la. A sociedade aprende e aceita a demência como uma possibilidade...

Dia Sim, Dia Não

Videomaker decide saltar do ônibus em que estava, na zona sul do Rio de Janeiro, para uma entrevista, quando avista...