5901 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.3/5 (3 votes cast)

Asè Oloroke

O Instituto Cultural Oloroke Cultura Yoruba e Camdomblé, cujos objetivos são de caráter cultural, educativo e preservacionista da cultura Yoruba, é também mantenedor do terreiro de Camdomblé Asè Oloroke.
O Camdomblé sempre foi um dos principais polos de resistência da cultura afro-descendente no Brasil, representando a síntese da expressão histórico-religiosa de povos, que arrancados da África, foram obrigados a aqui conviver. Logicamente esses povos não eram destituídos de historicidade, como foi, ideologicamente, construída a sua imagem, ao contrário. Esses povos eram oriundos de culturas belíssimas e milenares que foram abortadas em pleno processo de desenvolvimento pela simples razão de praticarem um modo de vida diferente dos colonizadores. Essas raízes culturais hoje se agrupam em Roças de Camdomblé que são denominadas Nações: Efon, Angola, Keto, Jeje, dentre outras.
Hoje se faz presente um movimento no interior do Candomblé, que na verdade se iniciou na década de 1930, preocupado com o processo de reafricanização, ou seja, a maior proximidade possível com suas raízes e o distanciamento do sincretismo. É importante tratar da preservação e propagação da Cultura Yoruba e sua contribuição para formação identitária do povo negro no Brasil.
Neste sentido a luta do Instituto, e o empenho do seu presidente Paulo de Efon pela preservação das raízes da Nação que representa e do Camdomblé em geral é o que mais justifica a existência do Asè Oloroke.

Tema: ESPIRITUALIDADE

Tags: aseoloroke, efon, oloke, yoruba

Continuação: Parte 1 - Parte 2 - Parte 3

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 24'

Diretor: Bruno Ducatti

Produtor: Bruna Moscatelli

Ano: 2011

Montagem: Felipe Ferraz

Som Direto: Fábio Moraes

Fotografia: Bruno Ducatti

Trilha: Magan Filmes

Prêmios:
Festival do Minuto/ Categoria Diretores/ Bauru

Festivais:
Festival do Minuto- 2009 -Jardim Botânico de Bauru

Filmografia do Diretor:
20 litros 2008
Jardim Botânico de Bauru 2008
Pela Alma do Sarnicha 2009
Clica!2010


Comentário do Diretor: Foi maravilhoso trabalhar com os parceiros do Instituto Oloroke e também Ponto de Cultura Asè Oloroke, colaborando com o resgate da cultura yoruba, reafricanização da cultura do candomblé e o resgate da identidade cultural do negro, através do cinema que é forte fonte disseminadora de idéias e conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. ogan valtinho de odé disse:

    Parabéns ao babá paulo! Com certeza o seu trabalho é muito bonito e rico em detalhes. Gostaria de saber mais sobre sua casa asè..

CURTAS RELACIONADOS

Índios – Som da Rua

Em 1991, um grupo de índios caiapós da grande aldeia Gorotire formou uma dissidência e partiu para fundar uma nova...

Bésóroró – A TV e os Karajá

Estamos vivendo na era da informação. O bum da comunicação. As mutações culturais advindas pela tecnologia mudaram a maneira das...

Parece Comigo

"Meninas negras não brincam com bonecas pretas", diz a letra do rap de Preta Rara, uma das personagens de Parece...

Mata… Céu… e Negros

O documentário pretende resgatar parte da memória dos poucos descendentes negros da região de Antônio Carlos, localidade próxima a Florianópolis,...

Para os nossos netos

Personagens e realizadores Panará traçam comentários sobre o processo de criação dos filmes O Amendoim da Cutia e Depois do...

Rocinha Brasil 77

Um registro histórico, realizado em 1977, sobre os hábitos e a qualidade de vida da maior favela da América Latina....