2613 visualizações
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.3/5 (3 votes cast)

De repente

De repente, a chuva cai e as pedras rolam. De repente, Wanda Pinheiro canta e encanta em meio à dor. De repente, da angústia brota o repente e a poesia. De repente, nasce um filme. A equipe da Set Produções acompanha Wanda Pinheiro, poeta e repentista, que após a tragédia natural que se abateu sobre a cidade de Teresópolis, retorna a sua casa pela primeira vez, encontrando-a interditada. No calor desta emoção, Wanda expressa espontaneamente, em versos singelos suas memórias, reflexões e desejos. O filme busca a poética da esperança, a força humana que nasce no vazio do presente trágico mas que olha o porvir da vida que segue.

Tema: MEIO AMBIENTE

Tags: chuva, esperança, repentista, retorno, rio de janeiro, Teresópolis, tragédia

FICHA TÉCNICA

País: Brasil

Duração: 15'

Diretor: Regina Carmela

Produtor: Leo Bittencourt

Ano: 2011

Formato: HD

Montagem: Regina Carmela

Fotografia: Leo Bittencourt

Trilha: Wanda Pinheiro

Filmografia do Diretor:
Documentários :

1- “Dona Santa” - 5’(2004)

2- “Boca da Urna” (2004) CPB 09010280 - 10”, selecionado no XII Festival de Vídeo de Teresina – PI

3- “Cidade dos Festivais” 46’ (2005) – CPB 09010090

4- “Reminiscências – dos anos 20 aos anos 50 – Teresópolis” 56’, (2007) CPB 09010088 - filme selecionado no RECINE 2007

5- “Reminiscências – Estrada de Ferro Therezopolis” 60’ (2008) CPB 09010089

6- “Reminiscências - A Estrada Direta Rio-Teresópolis” 47:36 (2010)

Institucionais:

1- 25 anos do SEEBT - 2005

2- Os 70 anos da ACIAT - 2006

3 - Os 50 anos da Casa de Portugal de Teresópolis” (2009)

4 - Os 50 anos da Rodovia BR 116/RJ Rio-Teresópolis” – CRT 2009

5 - Crer-Sendo – 2008-2009

6 - 30 anos do SEEBT - 2010


Comentário do Diretor: Este filme, através do relato poético da repentista Wanda Pinheiro, apresenta o cenário de um dos bairros mais afetados de Teresópolis de forma sensível, respeitosa e pela voz artística de uma moradora da localidade.
O fluxo narrativo não foi interrompido pela diretora, foi uma opção de captação, pois o que ocorrera ali foi algo completamente fora do comum. A montagem respeita este fluxo de forma a representar a dignidade da reflexão artística da moradora e poeta que arrebatou a pequena equipe com sua emoção e esperança de um novo recomeço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Este curta ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

CURTAS RELACIONADOS

Sem lenço e sem documento

O movimento hippie teve seu fim há algumas décadas, mas deixou herdeiros que ainda acreditam em uma ideologia que vai...

Lajotas em Buenos Aires

Os ladrilhos existem em algumas ruelas de Buenos Aires como lembranças silenciosas da existência de algum militante desaparecido durante a...

Uma Ciência Encantada

Um documentário sobre as percepções e impressões acerca dos mistérios e encantos de uma praia do litoral paraibano, inserida na...

O minuto é um milagre que não se repete

A Rádio Relógio Federal foi um sucesso nos anos 1960, 1970 e 1980. Mas sua transmissão característica que informava a...

Ouro Verde – A Roda de Samba do Marapé

A roda de samba Ouro Verde, de Santos, no bairro Marapé, leva esse nome por tocar todos os sábados no...

Sentido?

Documentário experimental que registra uma performance artística em um campo de futebol alagado, no meio da selva amazônica. Baseado no...